Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2008

Pleno Quotidiano XI

Cena 9

( rua em frente à faculdade, Gabriella está parada encostada num poste, Marcos chega)

Marcos: -Tchau, Gabi.
Gabriella: - Gabi?
Marcos:- (assustado) ...É.
Gabriella: - Nossa!
Marcos: - Que foi? Não pode te chamar assim?
Gabriella: - Pode. É que eu me assustei. Sei lá, acho que é a terceira vez que conversamos.
Marcos: - Então precisa de intimidade pro apelido.
Gabriella: -Não.
Marcos: - Você está se contradizendo.
Gabriella: - Não importa.
Marcos: - Não mesmo.
( Gabriella joga o fichário no chão)
Marcos: Que foi? O que você tá fazendo?
Gabriella: - Se se contradizer não importa, estou eliminando duas regras que se contradizem. A que diz pra eu ser eu mesma, e a que diz que eu não posso me insinuar pra você.

( Gabriella agarra-o e beijam-se)

Marcos: - Nunca gostei de regras.
Gabriella: - Gosta sim. Diz que não porque não sabe aplicá-las.
Marcos:- (ri) Não conhecia essa sua veia cômica, Gabriella.
Gabriella: -Gabi.
Marcos: - Quê!?

(Gabriella beija-o de novo)

(B.O)

Pleno Quotidiano X

Cena 6

(quarto de Carina, é dia e as janelas estão bem abertas. Carina e Gabriella conversam sentadas na cama)

Gabriella: - Ele tem um "quê" assim....meio de...
Carina: - Arrogante, metido, anti-social?
Gabriella: - Não... É algo bom. Eu gosto!
Carina: -Nossa!
Gabriella: -Ele é meio soberbo.
Carina: - Isso é bom?
Gabriella: -É sexy.
Carina: (ri)
Gabriella: -É mesmo! Tem jeitinho de menino bravinho.Que quando recebe carinho fica um doce.
Carina: - Fica babaca até.
Gabriella:- Ai pára!
Carina:(silêncio) - Resumindo. Você tá enfeitiçada.
Gabriella: - Tô. Mas não vou ficar me insinuando, ele pode achar que eu sou dessas fáceis.
Carina: - Não vai.
Gabeiella: - Claro que sim! Onde já se viu?Eu ficar de frescura com ele.
Carina:- Não precisa frescura.Fale normalmente com ele. Do seu jeito.
Gabriella:- Isso eu já fiz.
Carina:-Ai meu Deus! (pausa) ...Fez , como?
Gabeiella: - Tipo eu cheguei, falei "oi sou a prima da Cá , valeu pelo livro."
Carina: - E ele?
Gabriella: -Agradeceu.
Carina: - Só?
Gab…

Pleno Quotidiano IX

Cena 8

(sala de aula, vazia, Marcos na carteira do canto lê um livro, o celular toca)

Marcos: (olha a bina e atende)- Oi Cá.
Carina: - Bom dia amor. Onde você tá?
Marcos: - Na sala de aula. Tivemos aula vaga hoje e eu to aproveitando pra estudar.
Carina: -Você ta bem?Sua voz tá diferente.
Marcos: Tô.Ah...(pausa) Eu tô mais ou menos.
Carina: - Que foi?
Marcos: -Ah Cá...umas coisas aí.Depois eu te falo.
Carina: - Quem?
Marcos: -Quem o que?
Carina: - Quem falou o quê pra você ficar assim?
Marcos: (risos) Haha. Depois eu te conto. Vou acabar com teus créditos.
Carina: -To no serviço, cala a boca e fala.
Marcos: - Cala a boca ou fala?
Carina: - Vai Marcos, cacete.
Marcos: - Lembra da história do fusca?
Carina: - Sim. Você ficou interessado.É isso?
Marcos: - Fiquei.
Carina: (silêncio)
Marcos: (silêncio)
Carina: - ... vai atrás.
Marcos: Fui.
Carina : - E?
Marcos: - Rolou.
Carina: (silêncio)
Marcos: (silêncio)
Carina: - Foi bom?
Marcos: - Foi.
Carina:- Como?
Marcos: - Bom
Carina: -Como, cacete?
Marcos: - Foi...não tem como …

Pleno Quotidiano VIII

Cena 15

(rua em frente à praça)

Marcos:(correndo) - Gabi volta aqui.
Gabriella:(correndo, à frente) -Vai embora.
Marcos: - Me escuta! Por favor.
Gabriella: Eu te odeio, filho da puta!
Marcos: - Espera!
Gabriella: Mentiroso, cachorro! (pára) Eu te odeio! (os joelhos cedem, e ela cai chorando)
Marcos:(alcançando-na) -Me escuta, amor.
Gabriella: (gritando) Vai tomar no cu Marcos! Pára de me chamar de amor! Eu ouvi! Larga essa sua máscara!
Marcos: (pausa) Tá, desculpa.Agora deixa eu te explicar
Gabriella: -Explicar o quê? Que você me ama sim? Que o que eu acabei de ouvir era uma brincadeirinha sua ? Eu te peguei no flagrante! Eu te peguei falando!
Marcos:- A culpa não é minha, foi...
Gabriella:- Vai dizer que foi seu amigo? Que ele assistiu muita Malhação e tá querendo dar uma de nos separar? Que ridículo Marcos.
Marcos: - Olha. Ele teve interesse em que você ouvisse isso sim.Pode até não ter sido proposital, mas teve.
Gabriella:- Eu quero que ele se foda! Ele não me enganou, você sim.
Marcos: Gabi, deix…

Pleno Quotidiano VII

Cena 10

(sala de aula, carteiras do canto)

- Você gosta dela.
Marcos: - Sim, por quê?
- A frase foi afirmativa
Marcos: Então, lhe digo: Com certeza!
- Mas você não ama.
Marcos: Por que me pergunta isso?
- De novo.
Marcos: - Então, por que afirma isso com tanta convicção?
- Só falo o que eu vejo.
Marcos:- Tá com ciumes é ?
- Não seja ridículo.
Marcos: - Você não merece metade da atenção que eu dispenso à ela.
- Não mereço. Mas eu tenho.
Marcos: - Em seus sonhos
- Fatos falam mais alto do que sonhos, Marcos.
Marcos:(pausa) - Como assim?
- Você quer mesmo que eu explique?
Marcos: (pausa) - Sim.
- Então se o que você quer é ouvir da minha boca, eu lhe digo...
Marcos: ( interrompendo) - Cala essa boca.
- (silêncio)
Marcos: O sinal já tocou, já tem gente entrando na sala.Vá pro seu lugar.
- Eu sento aqui.
Marcos: -Esse lugar é dela.Você sabe muito bem disso.
- Hoje quem quer ocupar a cadeira dela sou eu.
Marcos: - Não dê nenhum escândalo!
- Jamais.
( Gabriella entra)
Gabriella: - Oi.
Marcos: - Oi.
- Oi
Gabriella: - Roubou …

Pleno Quotidiano IV

Cena 5

(sala de aula)

- Dá licença, você que é o Marcos?
Marcos: - Sou sim.
- Oi, eu sou a Gabriella, prima da Carina!
Marcos: -Oi!(pausa) Tudo bem?
Gabriella:-Tudo sim.
Marcos:- Então tá bom
Gabriella:(encara-o)
Marcos:(silêncio)
Gabriella: (continua encarando)
Marcos: (vira-se pra frente)
Gabriella:- (volta a si, e grita) ENTÃO!
Marcos: (vira de volta) Então?
Gabriella:- Eh, a minha prima disse que você reservou o livro pra mim.
Marcos: - Reservei sim, é só passar lá e pegar. E pagar também, claro (risos)
Gabriella:- Uhum (risos abafados)
Marcos:(vira-se pra frente de novo)
Gabriella:- Viu...
Marcos:(voltando)- Oi
Gabriella: -Obrigada.
Marcos: -Disponha.
Gabriella: -Sempre. (sai)
Marcos:- Vaca.

(B.O)

- Uma pausa no quotidianos-

Caro leitor:

Se você acompanha esse blog há algum tempo, deve ter percebido que minha peça, Pleno Quotidiano, apresenta-se de maneira aleatória. Pedimos a compreensão e a paciência (ou não)
E pra você que chegou agora: se quiser entender, comece lá de baixo com o Pleno Quotidiano I
É isso aí :)

BeijosmeliguemnomeuV3Dolce&Gabana

Pleno Quotidiano V

Cena 3

(noite, quarto de Marcos, luminárias ligadas)

Marcos:-(entrando) Vem Cá, pode entrar.
Carina:-(logo atrás) Brigada Má.Desculpa ter vindo sem avisar, é que se eu não pegasse essa revista hoje, ia estar ferrada!
Marcos:- Cara, eu juro que nem lembrava que tinha emprestado isso de você.Eu a vi hoje mesmo, eu tava limpando o quarto.Dei até uma lida e ri piscinas com ela.
Carina:-(rindo) Haha, riu do quê?
Marcos:- Tinha uma matéria muito escrota, falando de coisas puritanas e tal.
Carina:- Coisas puritanas? Que matéria?
Marcos:- Uma que falava de alma gêmea, ou algo assim.
Carina:- Ah tá! Eu sei do que você tá falando.Essa matéria se chama "Escolher sem procurar", se eu não me engano.Aliás, o autor dela é...
Marcos:-(interrompendo)...é a pessoa mais decepcionada da face da terra!(ri alto)As coisas que ele escreveu, me mataram de rir.O coitado esperava que as pessoas fossem acreditar nessa baboseira toda, de encontrar a pessoa certa, de se "auto-valorizar" e não sei mais o …

Pleno Quotidiano IV

Cena 1

(quarto de menino.Iluminação média)

Marcos:(só) -Tá na hora de ir.(vê o relogio) Ah não.É daqui a pouco.(olha o quarto) Que zona! Melhor dar um jeito nisso tudo.
(toca o telefone)
Marcos: Alô?
- Oi Má.
Marcos:-Fala Carina! Tudo bem?
Carina:- Tudo.Viu, você tá indo pra faculdade?
Marcos:- Estou. Eu tenho que pegar os nomes de uns livros que preciso comprar.Por quê?
Carina:-Não, é que eu ia pedir um favor pra você.Minha prima tá vindo de outra cidade, sabe?
Marcos:-Sei.Você comentou algo comigo.Ela vai fazer jornalismo também né?
Carina:- Então. Ela vai fazer jornalismo, e eu precisava que você encomendasse os livros já pra ela.É que não vai dar tempo dela chegar e correr atrás dessas coisas.Você pode fazer isso pra mim?
Marcos:- Posso, posso.Acho que é só dar o nome dela na livraria né.
Carina: - Acho que sim.Ela se chama Gabriella da Silva.
Marcos: Tá.Gabriela da Silva.
Carina:- Com dois "l" o Gabriella tá.
Marcos: Certo.
Carina: Brigado Má.Tenho que desligar.Beijão.
Marcos: Beijo Cá.…

Pleno Quotidiano III

Cena 13

(praça,depois da aula)

- Me diz. O que você estava falando com ele?
Marcos: - Nada.
- Nada não duraria tanto tempo assim.Vocês estavam muito concentrados no assunto.Pode falar, eu não ligo
Marcos: - Liga sim.
- Olha, você acabou de dizer que me ama. Não faz nem uma hora. Não precisa ter segredo pra mim.
Marcos: - Não é questão de segredo.É só que tem coisas que é melhor não serem ditas.
- Ta querendo me deixar mais curiosa né. Fala, meu.
Marcos: - Desculpa. Foi algo muito inútil.Eu quero esquecer essa conversa.
- Só me diz. Era de mim?
Marcos: - Não. Em momento algum seu nome foi citado.
- (silêncio)Então tá bom.Desculpa ser tão intrometida.Mas é que o jeito que vocês estavam conversando, sei lá.Pareceu-me um assunto muito importante, ou algo do tipo.
Marcos: -Pode até ter sido importante.Só que eu já esqueci. No momento a coisa mais importante pra mim é você.
- Tá bom então
(beijam-se)
Marcos:- Eu te amo.

Pleno Quotidiano II

Cena 2

(rua,um fusca parado em cena,iluminação de dia)

- Oi, você pode me dar uma informação?
- Sim.
- Onde fica a Avenida da Saudade?
- Olha, você virá aqui e vai por trás, não suba na primeira que é contra mão, pegue a terceira, dê a volta na praça e desça.É lá.
-(pausa) Valeu. (vai saindo com o fusca)
- (pausa) Eu to indo pra perto de lá agora. Me dá uma carona que eu te mostro direitinho.
-(longa pausa)...sobe aí.
(sobe no carro)
- Você é de onde?
- Rio.
- De janeiro?
- Não! Rio Tietê.
- Êta! Desculpa.
- Magina, a ironia sai às vezes. Vira aonde agora?
- Na próxima.
- Pra que lado?
- Direita... não! Esquerda, esquerda!
(o carro vira bruscamente)
- Porra! Prestenção, meu. Quase atropelei uma velha.
- Foi mal, tava destraido.
- Olha, sua função aqui é me dizer o caminho, nada mais que isso.
- Já falei, foi mal!
(silêncio)
-Dê a volta nessa praça agora.
(silêncio)
- Quantos anos você tem?
- Nossa! que pergunta retardada!
- Pára o carro, vou descer.
- Tá, desculpa.Tenho 23, porquê?
- Só pra saber.É que eu te dava m…

Pleno quotidiano I

Cena12

(Lanchonete, luz baixa. Discutem em pé próximos de uma mesa)

-A culpa foi tua!
-Minha? Por quê !?
-Eu te disse pra parar de riscar meu braço daquele jeito.
-Eu tava zoando, cacete!
-Não interessa. Não entende que é você abrir a boca que chama a atenção? Mandaram a gente sair, e agora?
-Agora nada, ué! E que mania de botar a culpa em mim! Você deu escândalo também!
-Claro! Você gritou comigo.
-Gritei merda.Cê gosta é de aparecer, isso sim.
- Teu cu!
-Gosta sim, não vem dizer que é mentira.Você gosta que lhe notem acima do seu palquinho.
- Largue mão, o atorzinho amador aqui é você!
- Sou mesmo, pelo menos eu assumo!
- Assume é , bixa!
- Sua infantilidade ainda consegue me impressionar.Impressionante!
-Cala a boca.(aproxima-se)
-Cala você (encara bem de perto)
(beijam-se)
-Te amo.
-Quem era infantil aqui mesmo?

(B.O)

"Eu sou quieto"

Eu já tomei o ônibus das seis e meia um tanto irritado sem saber com o quê.Pelo menos meu ponto é um dos primeiros, isso me dá bastante lugar pra sentar.O ruim é escolher, sei lá, parece que sempre me arrependo da escolha mais tarde.
Hoje não foi diferente.
Primeiro dia de aula pra muitos,faz o povo querer colocar o assunto em dia.Eu não tinha ninguém pra conversar, e mesmo se tivesse, duvido que me deslocaria em troca de um diálogo.
Passando pelo próximo bairro de classe baixa, sobe muita gente.Sempre é assim.Fazendo jus ao fim das férias ficaram lá conversando.Como estava em silêncio,não pude deixar de ouvir:
-Oh lá Ricardinho,-dizia um cara em pé no corredor- resolveu voltar né (risos).Tamo na mesma classe.
-Ah voltei memo mano,- Ricardinho responde - mas cê ta ligado que o baguio é de respeito agora né.
Ricardinho estava em pé bem ao meu lado, o excesso de gente no ônibus fazia com que ele constantemente raspasse seu orgão sexual no meu ombro.Isso me irritou.
Continuaram o papo, …

Abdico

Acaba...
Brilhantemente seus vícios viram pó, varrido pra debaixo do tapete.
E então você percebe que tudo aquilo um dia formulado fora em vão.
Que suas escolhas não foram as corretas, como imaginado.
Que seu prazer encima do sofrimento de quem ama e do constante sigilo são obsoletos e cruéis.
Começa...
A jornada pela anulação de seu próprio "ideal" fajuto, algo que não é grande o suficiente pra tomar as rédeas de sua vida, contudo não é pequeno a ponto de ser ignorado.
Caem as máscaras, caem os desejos caem as vontades , caem as amizades, e no fim sobra apenas o velho tapete solitário.Divorciado de toda poeira que um dia escondera.
E te ligam, te convidam, e tem que estar presente.Calmo, ativo e com um copo de cerveja sorrindo na espuma.
E tudo o que você quer é fugir, gritar alto longe dali, será um egoísta assim , mas quem se importa? Afinal de contas a "vida é uma só e devemos aproveita-lá ao máximo". Muitos vivem sobre esse quesito libertador, certo dia me atrevi, mas …