12/03/2009

Anjo Barroco

Entre o bem o mal,
Divino e carnal,
Certo e errado,
Conivente e pecado.

Anjos barrocos:
São gordinhos,
São loirinhos,
São bundudos.

Então clamo: "Deus:
Apagues de mim
A vontade o grito
A carne, o fim"

Mas quero a carne.
"Deus, tanto quero!"
Preciso tanto quanto
minh'alma e coração.


E se vierem juntos então?
Sei que longe estão, 
mas quero, de coração,
a divindade e o tesão.




8 comentários:

Tiago Faller disse...

É,cara... E continua a me surpreender.

Sempre Marcelo, mas sempre melhor do que nunca! =)

Líviarbítrio. disse...

HHAhhahha..
ADOREI.

Muito bem escrito.
Parabéns moço. ;)

Beijos.

Claudio Justo disse...

Assim como a imagem dos anjinhos, trouxe à tona o estilo poético barroco, com sua eterna antítese entre o divino e o carnal.

Muito bom!

Fê Colcerniani Justo disse...

Muitooo bom... pra variar;... vc é feraaa....
Muito bem retratadomo barroco

Bárbara Araujo disse...

Inteligente e exato. (L)

Tato Barba disse...

Celo, Celo, quanto oportunismo! rs

Depois de uma prova "abarrocada", você me vem com esses versos?

Muito bom!

mariana disse...

Tava atrasada minha leitura aqui e AMEI loucamente "Distant worlds" e "Posso contar um segredo?". O primeiro mais que tudo que voce ja escreveu.

Anônimo disse...

E são pequeninhos hehehe