Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2010

Pontos de vista.

Eu perco o sono e choro, Sei que quase desespero, Mas não sei por quê.
A noite é muito longa, Eu sou capaz de certas coisas Que eu não quis fazer. Será que alguma coisa, Nisso tudo, faz sentido? A vida é sempre um risco, Eu tenho medo.
Lágrimas e chuva Molham o vidro da janela, Mas ninguém me vê. O mundo é muito injusto, Eu dou plantão nos meus problemas Que eu quero esquecer.
Será que existe alguém, Ou algum motivo importante, Que justifique a vida, Ou pelo menos este instante?
Eu vou contando as horas, E fico ouvindo passos. Quem sabe o fim da história De mil e uma noites De suspense no meu quarto Será que existe alguém no mundo?

Kid Abelha - Lágrimas e Chuva
Bruno Fortunato, Leoni e George Israel - Composição


Ver-me, ver a poesia e deixar que me vejam. É o que tem pra hoje e adiante.

Relevo - 02

A convite de Daniel Zanella, tive uma de minhas crônicas - da qual, confesso nem mais lembrar - publicada na segunda edição do Periódico de nome Relevo.


Em conjunto com outros peregrinos literários da rede, o compilado traz um fino trato das Crônicas cotidianas. 


Evitando delongas:




Sem nem saber direito como, agradeço.

OLHA

Nesse blog não relato coisas que "só acontecem comigo", mas tô disposto a escrever um troço aqui, e quem não curtir pode clicar naquele x vermelho lá. Porque o blog é meu (tá, agora ficou parecendo outra coisa), enfim:


 Tô aqui pra deixar claro que sou contra a censura, mas a favor do respeito, por isso mesmo digo: crianças, não paguem suas contas em dia.   Sério, o CEUNSP faz uns boletos mucholocos que contam fim de semana como dias úteis (Gente, eles encontraram utilidade no domingo! Isso é sacrilégio!), daí seu boleto sempre vence 1 ou 2 dias antes do quinto dia útil do resto do Brasil. De boas, tô até acostumado a pagar sempre atrasado. A questão é que meu pagamento caiu hoje, na mesma data de vencimento do boleto de setembro, e eu pensei em uma vez na vida ter a capacidade de não pagar juros e taxa de conta vencida. Fui lá, tirei a grana e fui à faculdade quitar minha dívida com a sociedade (ou ao menos, metade dela). O fato é que "não recebemos mensalidade antes do…

Se eu quiser falar.

- Toma uma cadeira. - Oi? - Senta. - Ah, sim! - Pois não? - Estou com um problema. Na verdade um não, são vários que compõem um maior. - Eu sei. Mas vou fazer que não... - Por favor. Essa conversa e futuro texto têm de ter o desprendimento de uma consulta. - De um desabafo. - De quê? - Na verdade você quer desabafar e só não encontrou como. Então quer escrever, como sempre. - Olha, não dá pra fazer assim não... se você começar a revelar meu subconsciente logo agora, vai ficar difícil de desenvolver o papo. - Sim. Só fiz pra descontrair... mas, prossiga. Qual é mesmo o seu problema? - Eu não gosto de mim. - Disserte. - Assim... até gosto, sabe? Não é que eu vá me jogar na frente de um carro ou bater o meu de propósito amanhã, não é esse instinto suicida, não. - Você não é suicida. Se fosse, nossa conversa seria totalmente outra. - Pois então. O problema é que tem coisa demais em mim que eu não gosto e que queria mudar. - Então muda. - HÁ! NÃO ME VENHA VOCÊ, JUSTO VOCÊ, MANDAR UMA DESSA “ENTÃO MUDA” COM…