23/06/2008

Possibilidade

Vou contar-lhe do que gostei:
Gostei de ter observado-lhe na multidão, admirado-lhe de longe, de ter irritado-me com sua ipertinência de início, e de ter conseguido aproximar-me de você lentamente. Do jeito fofo que você sorri e faz comentários infantis, e do jeito fofo que você me segue ou fica perto de mim. Também gostei da sua raiva involuntária quando vieram flertar comigo, de suas ofensas juvenis a ela, de não gostar que eu desviasse o foco de você, conforme a ignorava .
Gosto das espinhas em seu rosto, e do modo que você não está nem aí pra elas, gosto também do que você fez com seu cabelo hoje, não quinta-feira. Da sua altura, das suas mãos, dos seus pés, tudo me chamou a atenção, tão rápido.
Mas, por favor, não confunda. Foi tudo fruto de uma observação imaginativa dum turrão carente. Foi tudo armação de possibilidades mentais. Na verdade, você nem sabe que eu existo direito, ou só me acha "da hora pra caramba". Só que eu quero mostrar-lhe o mundo, como é viver em dezenove. As possibilidades, as amizades, as pegações, e o jeito insipido que passamos pela vida das pessoas que nos encantam e encantamos
Logo você, que é encantável. Encante-me, por favor.

7 comentários:

Marília disse...

Logo você, que é encantável. Encante-me, por favor.


Fechou bem! Adoray! :D

Mandy disse...

Logo você, que é encantável. Encante-me, por favor.


Fechou bem! Adoray! :D [2]

Julian disse...

Logo você, que é bencatável. Mecate-me, por favor.

Madamefala disse...

Atual até pra quem não tem dezenove.

Harlequin'Aglio disse...

Julian, reendo ultra-novas

volte sempre, ilustres visitandes rere ;B

Bárbara Araujo disse...

Eu amo esse texto desde que eu nasci.

Celo Aglio disse...

E eu amo você desde que eu nasci.