Pular para o conteúdo principal

Qui qui cê curte?

"-Qui qui cê curte?
-Ahn?
- De música, assim?"

Toda vez em que me deparo com essa pergunta ou algo parecido, sinto-me facear um dilema.Quero dizer, como é que eu vou definir meu gosto músical com poucas palavras? Eu gosto de tudo um pouco, de algumas músicas gosto mais, doutras, menos. Tem algumas que ouço só quando toca por aí, outras que sento na frente do computador e deixo tocando no player (aliás, lembrei-me agora de abri-lo...pronto! Kate Bush!) e tem aquelas que me lembram meus pais, algum amigo, alguma situação, sei lá, alguma coisa.
Então comecei a fazer uso do termo "Eclético", só que, depois de ter lido e rido piscinas daquela maldita comunidade, não consigo mais ler, falar, ou ouvir essa palavra sem vir a imagem do Roupa Nova a minha cabeça e minha total falta de personalidade, conhecimento e interesse em música. Óbvio que isto não é culpa do orkut, mas, covenhamos, é a verdade.
Daí eu comecei a lascar 'MPB' e me relançavam ou outra pergunta: "O que é isso?" ou "Ai, credo, música de fresco". A resposta da pergunta vai ao encontro da retórica sobre a afirmação: é Musíca POPULAR Brasileira, todavia o que possui de popular? E a minoria da população é fresca, logo, haveremos de convir...
Certo faz a Nova Brasil FM em colocar "Música Brasileira de Qualidade" em seu slogan, eliminando, assim, o termo 'popular', já que o popular eliminou a rádio faz tempo. Daí eu fiz o mesmo, prá quê!: "ah é, música brasileira? cê curte pagode tamém, mano?" ou " como assim? tem música brasilera que é de qualidade?".
Evidentemente, tive de usar mais palavras ainda pra definir meu gosto músical, e caí no mesmo problema de antes, e no mesmo nariz torcido e cara de "que pseudo-intelectual esse cara".
Tentei: "de tudo um pouco...", mas recebia um "mas o qui qui cê mais curte?", daí era obrigado a expor todo um rol de compositores, cantores e bandas, sempre injustiçando um deles pela falta de memória.
Porque, gente, eu curto mesmo muita coisa: clássica, funk, axé, samba, pagode, sertanejo, mpb, pop rock, lounge music, psy, rap, heavy metal, gospel, nipon rock etc. Aliás, eu não desgosto de nenhuma música na face da Terra (em um primeiro momento e sem muitas repetições, que fique claro), ou seja, eu não curto de tudo um pouco, mas de tudo tudo e o que eu não conheço também, já curto. Daí fica assim, já que a modinha é "não rotular".
_
"-Mas todas mesmo?
-Ahan
-Credo, que total falta de personalidade, conhecimento e interesse em música, véio.
- To ouvindo Kate Bush agora, pra você ver...
- Quê?
- Nada, você é muito eclético, não iria saber"
_

Comentários

Tato Barba disse…
kkkkkkkkkkkkkkk
Ri à kilos com seu post Celo...
Pseudo-intelectuais, ecléticos, preconceituosos.... Enfim, o que somos?

Achei que sabia, mas agora...hunf... rsrsrs

Muito bom!
Tiago Faller disse…
Sabe, tem o nome da minha facul na primeira linha..

Sabe, gospel não é estilo musical.

Sabe, agora eu vou ao que interessa... Costumo citar as principais influências de estilo, aí, se a pessoa quiser nomes, cito os principais também.
Mas depois da lista de principais, deixo claro que ouço muita coisa. Desde que tenha qualidade musical e intelectual.

Beijos, amo ler sobre música.
? igor. disse…
Foda-se o Bush!
Sou um eclético intelectual a favor da retirada imediata das tropas no Iraque!

Hausha, muito legal o texto. Kate Bush tambem. :)
Harlequin'Aglio disse…
Serei eternamente grato à Kate e Mandy por me encaminharem à Wuthering Heights, leitura obrigatória.
Jeh disse…
ah oi, eh aqui que comenta rere
gostei do post qtau
mas agora você já sabe ._.

ç2
_PierroT disse…
eu hein... ¬¬

Postagens mais visitadas deste blog

O ano de viver perigosamente.

Vivere pericoloso é o que diriam os italianos, ou até um romance que conta um trecho da história da Indonésia. Foi por aí que me interessei em "Year of Living Dangerously" da "Scissor Sisters", uma de minhas bandas favoritas. Simplesmente porque ela descreve tudo o que 2013 deve ser de acordo com os meus planos. A letra fala por si.


  "Year Of Living Dangerously"
Tell me what does it mean to be faithful?      Diga-me o que quer dizer ter fé? Is a heart only made for beats?                   Um coração só foi feito para bater? Just another word for painful?                     Somente outra palavra para o sofrimento?
So I try to slow down, the brake’s broken.    Então eu tento ir mais lento, o freio quebrou. There’s no way to jump out of here,            Não há modo de pular fora daqui. All these conversations unspoken...             Todas essas conversas não ditas...
So I keep searching                                  Então eu continuo procurando For every…

OLHA

Nesse blog não relato coisas que "só acontecem comigo", mas tô disposto a escrever um troço aqui, e quem não curtir pode clicar naquele x vermelho lá. Porque o blog é meu (tá, agora ficou parecendo outra coisa), enfim:


 Tô aqui pra deixar claro que sou contra a censura, mas a favor do respeito, por isso mesmo digo: crianças, não paguem suas contas em dia.   Sério, o CEUNSP faz uns boletos mucholocos que contam fim de semana como dias úteis (Gente, eles encontraram utilidade no domingo! Isso é sacrilégio!), daí seu boleto sempre vence 1 ou 2 dias antes do quinto dia útil do resto do Brasil. De boas, tô até acostumado a pagar sempre atrasado. A questão é que meu pagamento caiu hoje, na mesma data de vencimento do boleto de setembro, e eu pensei em uma vez na vida ter a capacidade de não pagar juros e taxa de conta vencida. Fui lá, tirei a grana e fui à faculdade quitar minha dívida com a sociedade (ou ao menos, metade dela). O fato é que "não recebemos mensalidade antes do…

Falando de religião

Eu saio na hora do almoço da escola às quartas-feiras e, após resolver algumas coisas da vida, cheguei em casa como sempre na vontade de usar o computador. Minha irmã estava no meu quarto e meu notebook só se conecta á internet quando cabeado, então peguei o pc da minha mãe e fiquei na sala. 

Só estou descrevendo isso, porque é algo que NUNCA ocorre, não fico normalmente na sala  de casa às três da tarde. Foi quando tocou a campainha no melhor "tem um tempinho para Jesus?". Olhei pelo vidro da porta: dois daqueles rapazes de camisa branca e gravata que passam pelas ruas. Certa vez eles vieram em casa e conversaram com meu pai.

Eu sabia no que aquilo tudo ia dar, entretanto eu não era o mesmo daquele tempo... minha fé e meu conceito de religião já mudaram muito. Fui atendê-los.
Um era bem branco, alto, com um sotaque estrangeiro: americano ou inglês. O outro era mulato mas falava meio ressabiado de boca quase fechada... tentei identificar naquele momento de que país era, mas foi…