Pular para o conteúdo principal

A Cartomante

(...)

Cena 5

Camilo e Rita

Camilo: E foi então que pude ler no próprio coração; não consigo arrancar os olhos do bilhetinho que você me deu de aniversário. Palavras vulgares; mas há vulgaridades sublimes, ou, pelo menos, deleitosas. E não s

ei se nada disso é certo. Não sei mais. Fazer isso com Vilela não é certo.

Rita: - Mas não fizemos nada... ainda.

Camilo: - Rita! É bom que fiquemos onde estamos!

Rita: - Camilo, vou lhe dizer, não há mais como segurar. Você apareceu na minha vida e bagunçou tudo. O jeito com que você me dá atenção, o jeito de você me entender. Coisas simples, pequenas, mas que me fazem mulher. E eu não tenho nada disso com ele.

Camilo: - Rita! Você não é minha!

Rita: - Quem disse que não? Eu sou sua sim! Desde o dia que te vi! Você não saia mais de minha cabeça, e eu confundi a paixão avassaladora que sentia por você com repulsa, até que com seus pequenos gestos, ora de canalha, ora de menino, você me fisgou. Estou presa a você Camilo!

Camilo: - Rita você está agindo como uma serpente, foi-se acercando de mim, envolveu-me todo, fez-me estalar os ossos num espasmo...

Rita: (interrompendo) – Só falta pingar-lhe o veneno na boca! Vamos, Camilo, permita-se! Se eu fui serpente e você presa, devo dizer que vem sendo das mais fáceis! Até agora você permitiu que eu desse o bote em você, não vai deixar que eu termine de atacar? Ande! Me beija, mostre pra mim tudo o que você vem sentindo e quer fazer.

Camilo: - Me solta! (sai, mas para no meio do caminho e volta correndo. Agarra Rita e tasca-lhe um beijo. Os dois caem no sofá.)

(...)

trecho da adaptação que fiz para o teatro

apresentação CEUNSP 23/10/2008 às 21hs

Comentários

Muito interessante seu blog. Vc adaptou A Cartomante de Machado de Asis para teatro? Bacana demais viu? Parabéns!
Tiago Faller disse…
Foi ontemmm!

Filmou?
Anônimo disse…
Amei a cena cinco!!!
Quero ler tudoooooo!!!
Beijaooo e saudade
Mari
.Theodora disse…
Heey, tudo bom ?

Então, acompanho seu blog faz um tempo e adoro seus posts, muito bons *-*
Mas, esse vale o comentário (não que os outros não valham, mãs), afinal A Cartomante é demais e a adaptação para o teatro está muito boa *-*
Queria saber se você pode mandar a adaptação inteira pro meu email (theodora.pl@hotmail.com ou gi_tpereira@hotmail.com)

Uma súplica de uma mera fã de Machado de Assis e Marcelo Aglio (:

Postagens mais visitadas deste blog

OLHA

Nesse blog não relato coisas que "só acontecem comigo", mas tô disposto a escrever um troço aqui, e quem não curtir pode clicar naquele x vermelho lá. Porque o blog é meu (tá, agora ficou parecendo outra coisa), enfim:


 Tô aqui pra deixar claro que sou contra a censura, mas a favor do respeito, por isso mesmo digo: crianças, não paguem suas contas em dia.   Sério, o CEUNSP faz uns boletos mucholocos que contam fim de semana como dias úteis (Gente, eles encontraram utilidade no domingo! Isso é sacrilégio!), daí seu boleto sempre vence 1 ou 2 dias antes do quinto dia útil do resto do Brasil. De boas, tô até acostumado a pagar sempre atrasado. A questão é que meu pagamento caiu hoje, na mesma data de vencimento do boleto de setembro, e eu pensei em uma vez na vida ter a capacidade de não pagar juros e taxa de conta vencida. Fui lá, tirei a grana e fui à faculdade quitar minha dívida com a sociedade (ou ao menos, metade dela). O fato é que "não recebemos mensalidade antes do…

O ano de viver perigosamente.

Vivere pericoloso é o que diriam os italianos, ou até um romance que conta um trecho da história da Indonésia. Foi por aí que me interessei em "Year of Living Dangerously" da "Scissor Sisters", uma de minhas bandas favoritas. Simplesmente porque ela descreve tudo o que 2013 deve ser de acordo com os meus planos. A letra fala por si.


  "Year Of Living Dangerously"
Tell me what does it mean to be faithful?      Diga-me o que quer dizer ter fé? Is a heart only made for beats?                   Um coração só foi feito para bater? Just another word for painful?                     Somente outra palavra para o sofrimento?
So I try to slow down, the brake’s broken.    Então eu tento ir mais lento, o freio quebrou. There’s no way to jump out of here,            Não há modo de pular fora daqui. All these conversations unspoken...             Todas essas conversas não ditas...
So I keep searching                                  Então eu continuo procurando For every…

Pão, pão; queijo, queijo.

- Então é isso, Celina? É pão, pão; queijo, queijo?... Eu bem vejo como você é determinada, como é cheia de preceitos e, sabe, isso é bonito de ver, Celina. Gente assim tá em falta no mundo, de verdade. Gente que sai, que escuta os outros, que pensa sobre as atitudes e que depois não arreda pé daquilo que determina. Eu não, Celina,  eu sou um bundão. Todos os dias eu saio por aí tentando colecionar afetos depois que você me deixou. Não é que eu esteja te culpando, Celina, logo você que é tão compreensível. Eu só saía por aí tentando ser uma daquelas pessoas que conquista todo mundo com um sorriso, uma palavra doce, igualzinho a você. Eu queria ser você. Só que não adianta, não é verdade, Celina? Não adianta a gente querer mudar o que é de verdade, além de bundão, eu sou um turrão. Só me compram depois que lêem da página dois pra lá; contigo não, você é tão cheia de si, tão dona do sorriso mais sincero que eu já vi. Na verdade eu queria você pra ser um pouco como você. Eita menina dete…