14/05/2008

Fim, relaxado moleque!

Ter maturidade,
madura idade.
Ser adulto, então,
só pra variar.
Desisto.Sério mesmo.
Parei de me forçar.
Forcei-me a querer.
Quero normalidade,
normal idade.
Ah! Meus dezenove!
Dez e Nove:
o mínimo de notas,
que quero receber.
Recebo-as por mim,
como desistência.
Fim
.
Tudo até agora
foi deveras relaxado.
Por que, meu Deus,
eu sei que vai
continuar sendo,
mesmo que eu
não queira mais
que seja assim ?
Que seja!
Vou fingir, então,
que não tá sendo.
Cedo,
do verbo ceder.
Nunca estará perfeito;
não posso, contudo,
privar-me de tentar.
Só pelo prazer
de ser
relaxado
.
Conselhos que me deram:
Façam valer!
Clamo por eles,
no interior de meu ser.
'Estabeleça-se,
moleque!'
'Pense e aja,
moleque!'
'Planeje e crie,
moleque!'
Só não perderei
o pouco que tenho
de moleque.
Não posso mais
sonhar em ser
mal-agradecido.
Tudo o que me deram
até hoje
foi muito,
em vista
do cara fútil
em que me tornei.
Parar-me-ei.
Onde já se viu?
Tanto amor assim
em mim
pra mim
por mim
perante mim
E eu aqui,
moleque
!

2 comentários:

katchup disse...

aaahn.. esse post eh meio eskema piulp fiction, tiops comeca no fim e ermina no meio ou sei la? o.0'

huaihauehuaehau! amay, como amay td q existe aki

amo vc tb bofetzi bgs *.*

Aline disse...

oi

*_*